Um convite à meditação e à harmonia

  • por

Exercício de respiração e empatia – base para a meditação

Ao pensar em meditação, são muitos que não sabem como conceituá-la, não têm clareza de seus benefícios. Confundem o árduo processo de meditar com ócio e tempo perdido. E meditação, rigorosamente, não é nada disso. A meditação desenvolve a capacidade de olhar para dentro e ampliar a consciência de nós mesmos e de nossas relações com os outros.

Quem começa a praticar, com o tempo, colhe frutos dessa prática que está ligada basicamente à busca do autoconhecimento. Começa a perceber seus conflitos internos e externos, e, aos poucos, aprende a lidar com eles de maneira mais harmoniosa e consciente. Percebe que, por meio da meditação, alcança um estado de paz interior.

Normalmente todos desejam paz para este mundo repleto de guerras, antagonismos ideológicos e segregação social e étnica. Contudo, desejar a paz mundial e fazer alguma coisa por isso são coisas distintas, e esta questão gera um sentimento de perplexidade e impotência. Por onde começar? A meditação pode contribuir como um primeiro passo.

Algumas indagações são necessárias neste trabalho:

  • Estou em paz comigo mesmo?
  • Como posso desejar a paz mundial se estou em constante conflito interno?
  • Como posso pensar em incluir o outro se muitas vezes não incluo parte de mim mesmo, dando mais atenção e cuidados à mente que ao corpo ou vice-versa?
  • Percebo meu coração disparado?
  • Existe paz em meus músculos e articulações?
  • Percebo a respiração presa por medo ou raiva? E de onde vêm estes sentimentos?
  • Por que muitas vezes me vejo em um verdadeiro campo de batalha nas relações com os outros?

A meditação oferece instrumentos para trabalhar essas questões. Por meio de exercícios de autoconsciência, o praticante começa a perceber em si uma dissociação entre mente e corpo. Ao conciliar estas instâncias do ser, pode alcançar um estado de harmonia interna que, naturalmente, se estende às suas relações com todos e tudo aquilo que o cerca. Concentração, calma e compaixão são outros atributos que as técnicas meditativas aprimoram em seus praticantes. Atributos que, uma vez conquistados, passam a fazer parte da vidas.

Na Escola da Serra, a área de Corpo e Mente inclui Tai Chi Chuan, Aikidô e Yoga, práticas que têm em seus fundamentos a meditação. Elas ajudam a desenvolver nos alunos habilidades socioemocionais e autorreguladoras, bem como a concretizar muitos dos valores preconizados pela Escola: respeito, adaptabilidade, internalidade e senso de coletividade. Acreditamos que, assim, estamos ajudando a formar cidadãos mais equilibrados e felizes.

Por Edival Vitral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *