Aprendendo a aprender!

  • por

A Escola da Serra visa à formação integral de seus alunos, sendo orientada para o pleno desenvolvimento da personalidade humana. Seu foco é colocar o aluno como protagonista de seu aprendizado, com senso de independência e autonomia para ter um papel ativo na construção de seu próprio conhecimento.

A escola pretende formar pessoas capazes de pensar e agir como seres conscientes do seu papel no processo de transformação de si mesmos e do mundo ao redor. Com isso, estimula que reconheçam para os outros a mesma esfera de dignidade e autonomia que exigem para si.

Ou seja, formamos cidadãos éticos e responsáveis. Por aqui o aluno aprende a aprender, se tornando um ser crítico e autônomo dentro da sociedade na qual está inserido. 

Confira o testemunho da ex aluna Ana Luísa Isnardls e entenda um pouco mais como nosso método pode transformar a forma de ver, pensar e agir dos estudantes: 

“Meu nome é Ana Luísa Isnardls. Estudei na Escola da Serra no ano passado. Sai este ano para fazer intercâmbio. Desde então, sinto uma enorme vontade de escrever pra vocês sobre tudo o que vivi – e ainda vivo – como aluna e ex-aluna de vocês. 

Fui pra Serra depois de já ter passado por outras cinco escolas. Todas com cadeiras enfileiradas e provas valendo 10. Com sinal, uniforme e professor “tirando ponto”. 

Fui pra Serra com alguma esperança de que o mundo deveria ser melhor do que minhas recuperações em matemática no final do ano, mas sem saber ao certo o que ia encontrar lá.

Quando entrei na Serra, me deparei com o vento frio da manhã, pedrinhas no chão e muros coloridos (cor, muita cor!).  

Me deparei com grandes salões e aulas de empreendedorismo. Com mesas de quatro pessoas e assembleias. Com desenhos lindos espalhados pela escola inteira, aulas de Yoga e Tai Chi.

A Escola da Serra me falou: Seja. 

O que quiser, como quiser e quando quiser. No começo, assustei. Quis voltar pra trás dos nomes e das ideias já prontas. Um susto triste de existir, mas inevitável depois de 16 anos em escolas tradicionais. 

Aos poucos, fui.

E ainda estou caminhando. Depois que o susto passa, é aos poucos que a gente vai se enxergando, bem devagarinho. Podendo ser. Só ser, livre de qualquer amarra que alguém tente nos impor. 

E é nesse processo de autoconhecimento que a gente vai aprendendo mais sobre o mundo, sobre as relações (as mais diversas que existem). A gente vai começando a ver as coisas de outro ângulo. 

Não aquele de baixo para cima, olhando pra frente e só pra uma pessoa, e sim olhando pro lado e para todos/todas nós. Na Escola da Serra eu aprendi o que é estudar. 

E só fui perceber isso quando saí de lá e pensei em tudo que havia aprendido nas outras escolas. O que aprendi na Serra em um ano, escola nenhuma me ensinou em 16. 

Aprendi sobre o mundo. Sobre o que o move, quem o move e como fazem isso. E como querem que façamos isso. E como estamos fazendo. Na Serra, me perguntaram. Pela primeira vez em 16 anos, uma escola me questionou.

E, pasmem, não me deram uma resposta – me permitiram criar a minha. Deixaram que meu pensamento seguisse para onde quisesse, das minhas próprias experiências até os livros, artigos, documentários.

Na Serra, acreditaram em mim. Sabiam que eu não sou feita de números – eu sou bem mais que isso. E me encheram de oportunidades, para que eu me descobrisse da melhor forma: experimentando.

E foi assim que comecei a entender a Escola da Serra. Comecei a sentir as pedrinhas no chão e o sol da manhã no rosto. A sentir o barulho do violão e o cheiro da tinta. Os abraços e o carinho. A sentir as cores das paredes dentro de mim, e a falta delas do lado de fora.

Agradeço imensamente a toda a Escola. Por tudo que me ensinaram. Por tudo que me permitiram conhecer e todas as experiências que me proporcionaram. Às vezes penso como queria ter estudado com vocês durante muito tempo. 

Mas não foi assim, e sou muito feliz e grata por esse ano tão bonito e que foi o início de um aprendizado grande, de uma esperança que cresce cada vez mais em mim, quando vejo vocês crescendo mais e mais. Aí vejo que tem gente (e muita!) lutando por uma educação mais democrática e libertária. 

Obrigada por acreditarem em mim. Eu acredito cada vez mais em vocês. 

Com muito carinho,

Ana Luísa IsnardIs.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *