Depoimento

Depoimento de Ana Luísa Isnardis

Olá,
 
Estudei na Escola da Serra ano passado. Saí este ano, pra fazer intercâmbio. Desde então, sinto uma enorme vontade de escrever pra vocês sobre tudo o que vivi – e ainda vivo – como aluna e ex-aluna de vocês. 
 
Fui pra Serra depois de já ter passado por outras cinco escolas. Todas com cadeiras enfileiradas e provas valendo 10. Com sinal, uniforme e professor "tirando ponto". Fui pra Serra com alguma esperança de que o mundo deveria ser melhor do que minhas recuperações em matemática no final do ano, mas sem saber ao certo o que ia encontrar lá. 

Quando entrei na Serra, me deparei com o vento frio da manhã, pedrinhas no chão e muros coloridos (cor, muita cor!). Me deparei com grandes salões e aulas de empreendedorismo. Com mesas de quatro pessoas e assembleias. Com desenhos lindos espalhados pela escola inteira, aulas de Yoga e Tai Chi.
 
A Escola da Serra me falou: seja. O que quiser, como quiser e quando quiser. No começo, assustei. Quis voltar pra trás dos nomes e das ideias já prontas. Um susto triste de existir, mas inevitável depois de 16 anos em escolas tradicionais. Aos poucos, fui. E ainda estou caminhando. Depois que o susto passa, é aos poucos que a gente vai se enxergando, bem devagarinho. Podendo ser. Só ser, livre de qualquer amarra que alguém tente nos impor. E é nesse processo de autoconhecimento que a gente vai aprendendo mais sobre o mundo, sobre as relações (as mais diversas que existem). A gente vai começando a ver as coisas de outro ângulo. Não aquele de baixo para cima, olhando pra frente e só pra uma pessoa, e sim olhando pro lado e para todos/todas nós.
 
Na Escola da Serra eu aprendi o que é estudar. E só fui perceber isso quando sai de lá e pensei em tudo que havia aprendido nas outras escolas. O que aprendi na Serra em um ano, escola nenhuma me ensinou em 16. Aprendi sobre o mundo. Sobre o que o move, quem o move e como fazem isso. E como querem que façamos isso. E como estamos fazendo.
 
Na Serra, me perguntaram. Pela primeira vez em 16 anos, uma escola me questionou. E, pasmem, não me deram uma resposta - me permitiram criar a minha. Deixaram que meu pensamento seguisse para onde quisesse, das minhas próprias experiências até os livros, artigos, documentários...
 
Na Serra, acreditaram em mim. Sabiam que eu não sou feita de números – eu sou bem mais que isso. E me encheram de oportunidades, para que eu me descobrisse da melhor forma: experimentando.
 
E foi assim que comecei a entender a Escola da Serra. Comecei a sentir as pedrinhas no chão e o sol da manhã no rosto. A sentir o barulho do violão e o cheiro da tinta. Os abraços e o carinho. A sentir as cores das paredes dentro de mim, e a falta delas do lado de fora. 
 
Agradeço imensamente a toda a Escola. Por tudo que me ensinaram. Por tudo que me permitiram conhecer e todas as experiências que me proporcionaram. Às vezes penso como queria ter estudado com vocês durante muito tempo. Mas não foi assim, e sou muito feliz e grata por esse ano tão bonito e que foi o início de um aprendizado grande, de uma esperança que cresce cada vez mais em mim, quando vejo vocês crescendo mais e mais. Aí vejo que tem gente (e muita!) lutando por uma educação mais democrática e libertária. 

Obrigada por acreditarem em mim. Eu acredito cada vez mais em vocês. 

Com muito carinho,

Ana Luísa Isnardis
02/12/2015

Notícias