Visita à exposição Trabalho e Cidadania

Relato da aluna Sara Fernandes (Ensino Médio)


Um grupo de alunos do Ensino Médio, acompanhado pelas professoras Ana Clara Ferraz e Raquel Nogueira (Ciências Sociais e Humanas), fez uma visita à exposição “Trabalho e Cidadania” no Centro de Memória do Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG).

Durante a visita, refletimos um pouco sobre a relação entre cidadania, trabalho e justiça. Embarcamos em uma viagem sobre as relações de trabalho no Brasil. Começamos por entender que o trabalho para os índios era somente para a subsistência; para o negro escravo o trabalho estava ligado ao sofrimento e à sobrevivência; já para os “desbravadores” portugueses havia o elemento da aventura. Entendemos como o conhecimento e o trabalho estão intimamente ligados à ascensão e ao status social. Por exemplo: as negras quitandeiras que trouxeram da África seus saberes de culinária e suas habilidades com vendas tinham uma liberdade invejada por qualquer outro escravo.

Com a Proclamação da República os modelos de trabalho são novamente modificados. Os estrangeiros vêm para trabalhar como pessoas livres, mas ainda em péssimas condições. A vinda dos imigrantes era uma tentativa de branquear o país e fazê-lo avançar, mas junto com os imigrantes veio o novo modo de pensar da 2ª Revolução Industrial, que incluía a organização em sindicatos.

No Governo Vargas são consolidadas as leis trabalhistas, que visam garantir mais direitos para os trabalhadores, mas a CLT não englobou os trabalhadores rurais. A partir de 1950 há um fortalecimento dos sindicatos e neles a mulher passa a atuar mais ativamente. Durante a ditadura os sindicatos caem na ilegalidade, mas as lutas trabalhistas continuaram.

Mesmo enfrentando perseguição os trabalhadores rurais finalmente conquistaram seus direitos. Hoje a luta continua, e entre avanços e retrocessos os trabalhadores seguem. Entendemos também como o arquivamento de antigos processos garante que as vozes das pessoas comuns sejam ouvidas e lembradas, e a importância do TRT.

Ainda vimos  uma exposição do Levante  Popular da Juventude  que relembra  inúmeras  mulheres incríveis que lutaram por  uma justiça mais igualitária.  E participamos  de uma audiência simulada com a juíza do Trabalho Dra. Gisele Macedo, como exemplo de tentativa de acordo de forma amigável.

Notícias